Ainda que o FC Porto tenha somado os 3 pontos diante do União da Madeira, com uma vitória por 3-2, Héctor Herrera deu voz ao descontentamento no seio da equipa portista, especialmente por causa da fase menos positiva durante a segunda parte, que conduziu a dois golos dos insulares.

"Creio que a equipa entrou bem na primeira parte e na segunda também. Contudo, abrandámos e deixámos o adversário fazer o seu jogo e empatar. Graças a Deus conseguimos reverter o resultado. Não podemos relaxar desta maneira se queremos lutar até final. Creio que isto não pode acontecer. Há que trabalhar, seguir em frente e levantar a cabeça", começou por apontar o mexicano, à SportTV, deixando claro que essa mesma quebra se deu tanto no aspeto ofensivo como defensivo. "Não podemos deixar de atacar, nem de ter posse, nem deixar de ser agressivos na marcação", atirou.

Autor do segundo golo dos dragões, o mexicano diz-se feliz por mais um tento para a sua estatística, mas opta por colocar o aspeto coletivo à frente de tudo. "Obviamente marcar é sempre bonito. Mas sempre disse que o mais importante é o resultado. Se me calhar ajudar a equipa, fico contente. Mas o importante é continuarmos a somar e seguimos na luta", frisou.


Questionado sobre as mexidas forçadas na equipa, o mexicano considera que todos devem estar prontos a ajudar. "São bastantes baixas durante várias jornadas. O plantel está habituado a isso e há jogadores de qualiade. Nas grandes equipas devem estar todos a 100%, para quando chegar a oportunidade terem a chance de ajudar a equipa", explicou.