A claque Super Dragões, de apoio ao FC Porto, rejeitou hoje, em comunicado, qualquer intenção em molestar o árbitro Jorge Ferreira, contrariando as queixas deste, tornadas públicas pelos seus advogados na terça-feira.

"Como é mais do que evidente, Jorge Ferreira pode estar absolutamente tranquilo, pois jamais nos passou pela cabeça molestá-lo, bem como a sua família ou amigos", refere a nota, publicada na rede social Facebook, onde recorda que "se a memória não falha, o único árbitro da 1.ª categoria alguma vez agredido foi Pedro Proença no centro comercial Colombo."

A direção dos Super Dragões rejeita ver o seu nome associado a este tipo de situações e avisa: "Caso se confirmem as diversas queixas que vamos ouvindo e lendo, até agradecemos que as mesmas subam alguns degraus, e que o senhor árbitro peça junto da Polícia Judiciária que o seu telefone fique sob escuta, não vá existir alguém que se faça passar por nosso elemento e o incomode".

O árbitro Jorge Ferreira, da Associação de Futebol de Braga, emitiu um comunicado terça-feira, assinado pelos seus advogados, em que se queixa de intimidação e se diz ameaçado na sequência da presença de elementos da claque Super Dragões, afeta ao FC Porto, no restaurante do seu pai, em Fafe.

O juiz foi alvo de muitas críticas desde que assinalou uma grande penalidade a favor do Benfica, sexta-feira, em Paços de Ferreira, da qual resultou o segundo tento 'encarnado', que desempatou o encontro (1-3, resultado final), aos 45+2 minutos.
Fonte: Jornal Record